Cultura tech em tempos de pandemia

Mal sabia eu que iria mudar de país no meio de uma pandemia e, além de ter o desafio de me virar uma nova língua, teria também que encarar os desafios de liderar um time trabalhando de forma remota.

Obs. Tenho quase certeza de que muita coisa irei escrever aqui não é novidade pra muita gente, ainda mais para aquelas pessoas que tem experiência em trabalho remoto, mas a reação à esse tweet me motivou.

O motivo e um pouco de contexto

Quem me conhece, sabe o quanto eu valorizo iniciativas que não necessariamente são ligadas à uma task ou a um projeto e que ajudam a quebrar um pouco a nossa rotina. Quando estávamos no escritório (caramba, que passado distante!), adorava quando tinha algum workshop ou alguma outra reunião do time. Porém, agora durante a pandemia e com todo mundo remoto, as coisas mudaram um pouco.

Eu, particularmente, não me adapto ao trabalho full-remoto (e não, eu também não tomo café, mas eu prometo pra vocês que trabalho com tecnologia!); alguns poucos dias no mês talvez, mas 100% remoto não me atrai. Então além de ter esse desafio, tinha que me adaptar a uma mudança para um outro país e, começar a trabalhar com um time totalmente novo e com uma cultura totalmente diferente da que eu estava acostumado.

Mais uma vez (a última): nada do que vou falar aqui é novidade, principalmente se você já é experiente em trabalho remoto, mas vou listar aqui algumas coisas que tem funcionado por aqui e, claro, que podem funcionar muito bem no meu contexto mas não em todo lugar.

Formato e frequência das reuniões

Uma vez que estamos todos remotos, qualquer coisa é uma chamada de vídeo. Todas reuniões, sejam elas formais ou informais, e até aqueles bate-papos que aconteciam nos corredores ou no café do escritório são chamadas de vídeo. E, isso, claramente pode sobrecarregar as pessoas.

Para reuniões mais recorrentes, como daily standups, alternamos entre reuniões usando o Zoom (formato normal) e updates usando o Slack. Agendamos um bot nos dias que fazemos os updates via Slack, e aí cada pessoa do time faz seu update por lá.

E agora, uma coisa clássica, mas que prometo que faz MUITA diferença. Reuniões que não necessariamente acontecem diariamente mas numa frequência talvez, semanas ou quinzenal, faça sempre aquela pergunta: essa reunião poderia ser um e-mail? Claro, falando agora parece a coisa mais básica a se fazer, mas nos últimos meses conseguimos trocar algumas dessas reuniões por e-mails e isso ajudou bastante. Vale ressaltar, que nem sempre é possível fazer isso com toda reunião, e mesmo nos caso que citei, em alguns dias sentíamos que fazia sentido entrar em uma chamada de vídeo, mesmo que fosse algo rápido.

Comunicação direta com o time técnico

Uma das dores apontadas pelo time técnico nesse novo normal, foi o tempo gasto em responder a diversas dúvidas (seja em Slack ou e-mail) ou em participar de supostas conversas rápidas no Zoom. Pra ajudar com esse tópico, criamos um canal específico no Slack só para essas possíveis dúvidas. Pode parecer simples, mas quando falamos em um time com mais de 100 pessoas, esse problema escala de uma forma muito rápida. Tem funcionado bem para ambos os lados:

  • para o time técnico porque é um canal único de comunicação, e todo o time (não só o técnico) fica ciente de possíveis novos tópicos, problemas, etc.
  • para o time de negócios porque agora uma possível dúvida não precisa ser respondida especificamente por uma pessoa do time técnico e, sim, por qualquer pessoa que esteja nesse canal.

Reuniões técnicas e não técnicas do time

No Brasil, temos uma reunião voltada só para o time técnico chamada de Weekly: a idéia é apresentar sobre algum tema, discutir algum tópico ou simplesmente juntar o time para bater um papo.

Nos Estados Unidos, o time técnico já tinha uma reunião semanal agendada, mas com a pandemia, adicionamos algumas coisas novas. Entre reuniões técnicas e não técnicas, temos o seguinte:

  • Happy Hours: acontece três vezes na semana e tem a duração de 30 minutos. No nosso caso, fazemos mais para o final da tarde. É totalmente opcional e tentamos não falar sobre assuntos do trabalho.
  • Show & Tell: essa era uma reunião que o time já fazia. Como o próprio nome diz, tem como objetivo que uma pessoa do time apresente algo novo: seja algo que ela esteja estudando ou trabalhando. Acontece uma vez por semana durante uma hora.
  • Live Coding Session: adicionamos essa reunião para complementar a anterior. A idéia é trabalharmos juntos em algo dentro do projeto que seja um pouco mais complexo ou que talvez não seja um conhecimento tão compartilhado entre as pessoas do time. Tem um formato parecido com pair programming e acontece uma vez por semana com duração de uma hora.

Tarefas L&D

Tentei procurar a melhor tradução parar Learning and Development mas todas me soaram estranhas (aceito sugestões). Mas, enfim, esse tópico nada mais é do que garantir que as pessoas do time terão um espaço na sprint (ou na semana, enfim, depende de como o seu time se organiza) para uma tarefa que é voltada totalmente para o desenvolvimento profissional da pessoa.

Geralmente, o tópico é discutido e acordado com o líder/gerente e está ligado ao próximo passo da pessoa na carreira ou a alguma tecnologia nova que a pessoa tem interesse em aprender e pode ser aplicada na realidade do time.

See all posts...